Porque Ter a Última Palavra é Tão Importante Para Algumas Pessoas e Como Lidar Com Elas

Ter a última palavra para algumas pessoas significa vencer a discussão. Embora isso nem sempre seja verdade, é uma característica frustrante que se aplica a mais do que apenas a Wikipédia!

Vale lembrar que a pessoa que vence a discussão ou debate não é necessariamente a pessoa que mais grita ou se pronuncia na última palavra.

Frequentemente, uma pessoa com essa personalidade provavelmente é egomaníaca ou está prestes a ser uma. Um egomaníaco pode ser definido como uma pessoa obsessivamente egocêntrica ou egoísta.

Porque Ter a Última Palavra é Tão Importante Para Algumas Pessoas e Como Lidar Com Elas

Porque os Egomaníacos Sentem a Necessidade de Ter a Última Palavra?

Há muitas razões pelas quais as pessoas se comportam assim. Tentar entender a psique por trás de comportamentos agressivos pode ajudar a planejar seu curso de ação se você lida regularmente com pessoas que insistem em ter sempre a última palavra.

Insegurança:

Alguém que não tem confiança ou autoestima pode tentar se afirmar de outras maneiras, expressando-se de maneira vigorosa. Esse é um cenário familiar no bullying, onde muitas vezes o agressor é vítima de outra maneira.

Se esse for o possível motivo para a insistência deles em ter a última palavra, tentar discutir suas diferenças com sensibilidade pode ajudar a alcançar um resultado pacífico. Eles provavelmente precisam ser ouvidos com mais força do que precisam se sentir validados.

Arrogância:

Uma pessoa com extrema arrogância pode realmente não ser capaz de aceitar que ela pode estar incorreta ou que a opinião de outra pessoa é tão válida quanto a sua. É uma característica lamentável, e pode ser que uma pessoa extremamente arrogante simplesmente não valha a pena discutir em nenhuma circunstância.

Egocentricidade:

Algumas pessoas simplesmente precisam ser o centro das atenções e argumentarão que o preto é branco para manter os holofotes. Isso pode ocorrer por vários motivos; eles podem se sentir ignorados em sua vida doméstica ou impotentes em outras áreas de seus relacionamentos sociais ou profissionais.

Se uma pessoa é irracional simplesmente por atenção, não é sensato acariciar seu ego. Você só se sentirá atraído pelos pedidos de atenção dela e poderá estar apoiando o egocentrismo dela.

Poder:

Ter a última palavra pode ser percebido como poderoso, geralmente por pessoas que não têm assertividade em outras áreas de suas vidas. Este é um cenário difícil de lidar, pois você é o destinatário involuntário do ataque que está impondo seus próprios sentimentos de controle e poder.

Tente não ser levado a um debate com essa pessoa; ela fará o possível para derrubá-lo para a própria autoestima.

Raiva:

A recusa em debater com calma pode ser uma reação a sentimentos de raiva, e gritar com um oponente é uma maneira de expressar seus sentimentos. Nessa situação, talvez seja melhor revisitar a discussão quando a outra pessoa tiver tido tempo para se acalmar. Caso contrário, debater com um oponente irado pode rapidamente se transformar em uma situação volátil.

Domínio:

Assim como no poder, uma pessoa que sente a necessidade inata de dominar outras pessoas ou estabelecer sua prioridade pode fazê-lo insistindo que tenha a palavra final em qualquer conversa. Um cenário que provavelmente existe no local de trabalho, as pessoas podem tentar demonstrar seu domínio sobre seus companheiros ou colegas, forçando-os a admitir uma discussão.

Nessa situação, você precisa reforçar sua própria autoestima e talvez ter uma intervenção de terceiros. Não se deixe levar pelo desejo de outra pessoa de controlar suas ações; certifique-se de que sua voz seja ouvida mesmo quando você estiver falando em voz baixa.

Como Você Deve Lidar Com um Egomaníaco, e há Alguma Maneira de Ter um Debate Produtivo?

Quando você está conversando com alguém que se recusa a ouvir, é aconselhável optar por não continuar a conversa. Isso pode parecer contraproducente, mas canalizar energia e tempo para um cenário que nunca terá um resultado mutuamente agradável não é um investimento que vale a pena.

Se um oponente tomar a decisão de se afastar do debate, isso pode difundir completamente a situação. Você não é obrigado a continuar um diálogo que o faz se sentir desconfortável. Tampouco é sua responsabilidade mudar a ideia de uma pessoa que se recusa a ouvir a razão.

Dê um passo para trás. Há uma chance maior de que seus argumentos amadurecem ao longo do tempo e que quaisquer argumentos válidos que você tenha feito permaneçam em seu processo de pensamento e talvez informem o comportamento a tempo.

Mantenha Seu Próprio Equilíbrio

Sentir-se frustrado é compreensível. Se você está tentando chegar a um acordo em uma discussão infrutífera, pode sentir-se em apuros e tentar cada vez mais arduamente comunicar sua perspectiva.

Se um debate continua a se intensificar, em algum momento isso precisa terminar antes de se transformar em uma troca acalorada, o que é uma experiência negativa para todos os envolvidos.

Para diminuir a intensidade de uma situação tensa, convém não concordar. Você nunca precisa concordar com algo que considera errado ou incorreto, mas pode expressar sua aceitação do ponto de vista de outra pessoa sem precisar admitir que não está certo.

O Silêncio Fala Muito

Não se sinta atraído ou forçado a uma discussão impossível. Se você sabe que está lidando com um egomaníaco que não tem intenção de considerar outra perspectiva, pode decidir não se envolver na conversa.

Ser a pessoa maior nem sempre é o curso de ação mais fácil, mas pode evitar que seu espaço na cabeça fique atolado com um argumento que você nunca iria vencer.

Particularmente em circunstâncias contenciosas (a política vem à mente!), Pode ser mais sensato não dizer nada e manter a paz.
Postagem Anterior Próxima Postagem