Os 7 Passos Que Você Deve Dar Para se Livrar do Ressentimento

Os seres humanos são criaturas complicadas e imperfeitas. É fácil tomar decisões erradas porque muitas vezes são muito mais fáceis do que fazer a coisa certa.

Infelizmente, os tipos de emoções que resultam dessas decisões geralmente não são agradáveis. Raiva, tristeza e ressentimento são comuns e esperados.

O ressentimento, por definição, é uma indignação amarga por ser maltratado. Essa indignação pode parecer aguda, um lembrete doloroso de ter sido decepcionado ou traído por alguém em quem você deveria confiar.

Também pode parecer que o equilíbrio da balança está errado, onde essa pessoa se safou com seu mau comportamento enquanto você tem que lidar com as repercussões.

Muitas vezes alimentamos nosso próprio ressentimento sendo teimosos e não aceitando a situação pelo que ela é.

E, sim, sabemos que aceitação e perdão são muito mais fáceis de falar do que fazer, especialmente se a pessoa que nos prejudicou não está arrependida por suas ações.

O perdão tende a ser uma palavra enganosa nesse contexto, porque muitas vezes vemos o perdão como a absolvição de uma ação errada. Pode ser, mas não precisa ser.

Como exemplo, considere Tropicália, que cresceu com sua mãe emocionalmente abusiva, Tropicana. É justo que Tropicália fosse submetida ao abuso de sua mãe? Não. Foi certo ou justo? De jeito nenhum. Sua mãe se importa ou aceita a responsabilidade por suas ações? Também não. Então, o que Tropicália deve fazer com essa situação? Ela deveria apenas alimentar seu próprio ressentimento? Viver sua vida como uma pessoa amarga e zangada?

Não, claro que não.

E então tem o Petruquio. Lindona, a esposa de Petruquio, teve um caso extraconjugal por três anos. Ela o traia pelas costas e mentiu para ele várias vezes antes que ele descobrisse sobre sua infidelidade. Lindona traiu a confiança de Petruquio regularmente e o atingiu completamente do nada quando ela estava finalmente pronta para deixa-lo. O que Petruquio pode fazer sobre isso? Apenas alimentar a raiva e deixar o ressentimento pela forma como ele foi tratado tomar conta de sua vida?

Novamente, absolutamente não.

Existem muitas pessoas no mundo como Tropicana e Lindona. As chances são muito boas de você ter conhecido algumas delas se estiver tentando descobrir como se livrar do ressentimento. Elas nem sempre aceitam que o que fizeram foi errado. Muitas pessoas simplesmente continuam praticando suas ações erradas e nunca assumem a responsabilidade.

Aqueles em posições como Petruquio e Tropicália não podem colocar sua felicidade e bem-estar nas mãos das pessoas que os maltrataram.

Mas talvez seu ressentimento não seja tão pessoal. Talvez seja algo que teve outras forças em ação...

Tipo, Genova trabalhando duro em seu local de trabalho, fazendo horas extras regularmente e indo além do seu dever como funcionária. Ela se candidata a uma promoção pela qual está ansiosa, mas não consegue. A promoção vai para alguém que não parece fazer tanto trabalho, causando ressentimento pelo não reconhecimento de seu chefe. Pode ser que Genova tenha sido injustiçada e seu trabalho árduo não tenha sido recompensado.

Também pode ser que Genova não entendesse as regras do jogo que a administração estava jogando. Todo o seu trabalho árduo a tornou indispensável em sua posição atual. Eles não podiam promovê-la porque ninguém mais estava trabalhando tão duro quanto ela, e ela fazia o trabalho de três pessoas.

Ela está certa em ficar chateada com isso? Absolutamente. Mas seu chefe não se importa particularmente, e nem a pessoa que foi promovida. Afinal, o trabalho ainda está sendo feito.

A capacidade de trabalhar e curar seu próprio ressentimento proporcionará benefícios significativos à sua saúde mental e emocional.

As pessoas são criaturas imperfeitas e bagunceiras que fazem coisas idiotas, às vezes terríveis, o tempo todo, sem se preocupar em como suas ações afetam outras pessoas.

Você absolutamente não pode confiar que eles percebam seu erro, decidam que querem retificá-lo e fazer as pazes. Você vai passar o resto de sua vida miserável e com raiva se esperar por isso.

Então, vamos lhe dar algumas dicas sobre como trabalhar e curar seu próprio ressentimento.

Os 7 Passos Que Você Deve Dar Para se Livrar do Ressentimento

1. Reconheça e aceite seu ressentimento.

A honestidade consigo mesmo é o primeiro passo para encontrar a libertação dessa raiva. Você precisa reconhecer o que está sentindo pelo que é.

Algo como:

“Aceito que estou com raiva e ressentido por causa de xyz coisas que aconteceram. É injusto, e eu não deveria ter sido tratado dessa forma”

Não enfraqueça ou minimize esses sentimentos. Você não tem que tentar explicá-los. Eles são válidos, seja o que for que você esteja sentindo sobre a situação.

2. Identifique o que você pode controlar na situação.

Você não é responsável pelas ações erradas de outras pessoas. No entanto, somos responsáveis ​​por como respondemos a essas ações e quais decisões tomamos.

E a situação está sob seu controle? Quais decisões foram suas responsabilidades de tomar?

Em vez de se separarem, digamos que Petruquio e Lindona consertem as coisas. Ela termina o caso, procura um aconselhamento, trabalha em seu casamento e decide reconstruir a confiança.

Cerca de um ano depois, Lindona acaba tendo outro caso que Petruquio descobre. Por um lado, é admirável Petruquio querer curar essa ferida e continuar com sua esposa.

Por outro lado, essa foi sua decisão. Lindona precisará reconhecer sua infidelidade, mas Petruquio precisará aceitar o que pode controlar na situação. Tudo o que ele pode controlar é sua própria decisão de tentar ou não resolver as coisas com sua esposa, seja bem-sucedido ou não.

Petruquio fez e fez uma escolha errada ao tentar consertar as coisas com sua esposa, o que é compreensível. Muitas pessoas tentam salvar seu relacionamento nesse tipo de situação, especialmente se suas vidas estão entrelaçadas como os casais geralmente estão.

3. Aja sobre o que você pode controlar.

Depois de identificar o que pode controlar, agora você pode optar por agir a respeito.

Tropicália pode querer confrontar sua mãe sobre o quão mal ela foi tratada. Petruquio pode querer confrontar e se divorciar de Lindona para poder seguir em frente com sua vida. Genova pode acabar procurando um novo emprego para ter o reconhecimento que ela deseja.

Uma palavra de advertência sobre o confronto: é muito bom tentar confrontar as pessoas que lhe fizeram mal, mas pode não ser a opção segura ou correta. Uma pessoa abusiva pode responder com sua própria hostilidade ou até violência.

Situações domésticas podem ficar muito feias, muito rapidamente. As pessoas geralmente ficam em seu pior momento quando um relacionamento está se desfazendo, principalmente se houver traição e ressentimento. Você pode inadvertidamente acabar dando à outra pessoa mais combustível e munição para usar contra você.

Realmente pare e pense nos benefícios que o confronto pode lhe trazer. Não decida com raiva ou comece uma briga. E esteja preparado para aceitar que a outra pessoa não aceita nenhuma responsabilidade por seus atos e tenta colocar a culpa em você. Há uma boa chance de que sim.

4. Deixe de lado aquilo que você não pode controlar.

Chegará um momento em que você ficará sem recurso, em que tudo estará fora de seu controle.

Nesses momentos, você tem que abrir mão das coisas que não pode controlar e das quais você nunca conseguirá resolver. Este estágio de aceitação é bastante complicado e provavelmente levará muito tempo para ser trabalhado.

Quando sentimos ressentimento, geralmente nos concentramos na raiva e nas ações de quem nos ofendeu. Para deixar isso ir, temos que mudar a narrativa para algo ao nosso alcance.

Tropicália não consegue controlar que sua mãe cometeu muitas ações erradas.

Petruquio não consegue controlar que Lindona decidiu ter um caso.

Genova não pode controlar que seu chefe escolheu outra pessoa para promover.

Como eles podem reescrever suas situações para cura e prosperidade?

Tropicália pode escolher empatia e simpatia por sua mãe, alguém que está ferido o suficiente para querer tomar as medidas que ela fez contra ela. É provável que Tropicana tenha sofrido muito em sua infância e vida para ser do jeito que é. Isso não é uma desculpa, mas pode ser um motivo.

Petruquio pode escolher neutralidade em vez de raiva. Ele estava cumprindo seus votos e promessas a sua esposa da melhor maneira que podia. Ela é aquela que saiu do relacionamento em vez de tentar encontrar uma maneira de trabalhar nisso, um acordo que ela fez quando disse: "Eu aceito".

E Genova pode aceitar sua experiência como uma valiosa lição de vida. Ela agora tem experiência pessoal no que acontece quando ela coloca os interesses de seu empregador acima dos dela. Ela pode levar essa sabedoria consigo e tomar melhores decisões no futuro.

Essa escolha de encontrar empatia e aceitação - perdão - não existe para absolver outras pessoas de seus erros. O perdão não significa que você tenha que esquecer, aceitar o mau comportamento ou se abrir para ser mais prejudicado por aquela pessoa. O perdão, neste contexto, sem um pedido de desculpas, é para você ser capaz de aceitar a situação como ela é e liberar a raiva em vez de deixá-la apodrecer.

Francamente, muitas pessoas não são tão boas. E muitas delas não vão se importar em machucar você porque estão tão envolvidas em seu próprio mundinho. Será muito mais fácil para você ser capaz de aceitar essas pessoas como elas são, escolher evitá-las e não permitir que suas ações erradas fiquem presas em seu cérebro.

5. Faça da gratidão o seu antídoto para o ressentimento.

A gratidão é uma ferramenta poderosa para dissipar a raiva, fomentar a esperança e criar paz em sua vida.

Embora cada exemplo dado acima seja profundamente doloroso e perturbador, a gratidão pode ajudar a compensar algumas das emoções negativas que advirão deles.

Não há gratidão para Tropicália pelo abuso que sofreu, mas ela sobreviveu. Ela está livre agora, ela tem a compreensão dos eventos adversos pelos quais passou e pode usar tudo isso para traçar um curso melhor de cura, paz e felicidade.

Mas não ter consciência do mal que sofreu é deixá-la vulnerável a repetir o ciclo e ser como sua mãe. É feio e doloroso, mas é algo pelo qual devemos ser gratos.

A vida de Petruquio foi destruída pelas ações de sua esposa. A escolha de sair do casamento foi dela, mas talvez este seja o alerta de que Petruquio precisava investir mais de seu tempo e energia para manter seus relacionamentos saudáveis.

Talvez o caso não tenha saído do nada. Talvez Lindona o tenha pedido para ir a um aconselhamento de relacionamento, criar mais tempo para a família, ajudar mais na casa até que ela finalmente desistiu.

Por mais doloroso que seja, esse evento pode ser um catalisador para o crescimento pessoal, levando Petruquio a uma vida mais saudável e equilibrada. Isso é algo pelo qual devemos ser gratos.

Embora Genova não tenha conseguido a promoção que esperava, ela pode ser grata por agora entender sua posição com seu empregador.

Ela agora entende que há um jogo maior do que apenas trabalhar duro, e ela vai progredir. A vida raramente funciona assim. Um ramster em uma roda se exercita muito, mas não leva a lugar nenhum. Ela precisa ser inteligente e trabalhar duro se quiser progredir. Não é uma percepção agradável, mas ainda assim, é algo pelo qual ser grato.

A gratidão é poderosa. É difícil que negatividade e ressentimento coexistam no mesmo espaço que a gratidão. Quanto mais você puder incorporar a gratidão em sua vida, mais fácil será se livrar das dolorosas picadas que vêm com a vida.

6. Use o ressentimento como combustível para o crescimento.

Então você foi injustiçado de uma forma ou de outra. Em certo sentido, isso faz de você uma vítima. Mas, se quiser abandonar o ressentimento, não deve possuir a identidade de vítima.

O ressentimento pode alimentar esses pensamentos e crenças baseados na vítima ou, em vez disso, pode alimentar crenças mais fortalecedoras. Depende de você escolher.

Como mencionado acima, o ressentimento pode ser transformado em ação em relação às coisas sobre as quais você tem controle, e você definitivamente tem algum controle sobre sua vida daqui para frente.

Portanto, sempre que precisar de motivação para trabalhar para melhorar a si mesmo ou as circunstâncias de sua vida, volte-se para o seu ressentimento. Considere isso como apontar dois dedos para quem ofendeu você, ou o mundo em geral, e dizer um alto "Foda se!"

Mostre a eles e a todos como você está pegando o caminho certo e tirando algo de positivo dessa situação negativa, semelhante à gratidão que você buscou no ponto anterior.

E como acontece com todo combustível, ele acabará por queimar. Você alcançará um lugar onde alcançou algo bom e está mentalmente melhor. O ressentimento terá ido embora - ou bastante reduzido - e em seu lugar estará um você melhor, mais forte e mais resistente.

7. Aborde os erros futuros com antecedência.

O ressentimento em uma área de sua vida geralmente alimentará ressentimentos em outras áreas. Pode até reacender ressentimentos que você pensava ter posto para dormir.

Portanto, durante todo o processo de abandonar o ressentimento sobre uma determinada coisa e ao progredir na vida, tente corrigir os erros logo após eles acontecerem.

Não permita que um erro se apoie em outro e outro até que você seja uma panela fervente de raiva e ressentimento mais uma vez. Se acontecer algo que você considere injusto, aja de acordo e tente fazer as pazes com qualquer transgressor. Encontrar uma solução logo no início significa que o problema pode ser colocado de lado na prática, mas, mais importante, emocionalmente.

Desta forma, você pode remover sua identidade de vítima e substituí-la por uma em que você lide proativamente com os problemas e conflitos, a fim de evitar ressentimentos de longo prazo.

Isso vale para todas as formas de transgressão, mas especialmente aquelas que se relacionam diretamente com a sua principal fonte atual de dor e mágoa.

Tropicália precisa denunciar atos emocionalmente abusivos de outras pessoas além de sua mãe - grandes e pequenas - ou eles simplesmente vão lembrá-la dos maus-tratos de sua mãe. Por mais que ela possa lidar com esse ressentimento principal, ele pode mostrar sua cara feia se situações semelhantes ocorrerem e não forem tratadas.

Petruquio não deve permitir que pequenas mentiras permaneçam em seus relacionamentos futuros, porque elas servirão apenas para levantar a velha questão de sua esposa ter um caso. Ele deve insistir na honestidade e clareza ou acabará ressentindo-se de uma nova parceira - ou mesmo de amigos ou familiares - por perpetuar o ciclo de estar sendo enganado.

Genova deve deixar claro para seu chefe e quaisquer futuros chefes que ela não pode ser dada como garantida apenas porque ela trabalha muito, segue os limites da empresa e faz um trabalho sólido. Ela deve ter limites saudáveis ​​em relação às funções que é solicitada a fazer e ao tempo que está disposta a dedicar ao seu trabalho. Se seu chefe lhe enviar um e-mail no fim de semana, ela deve se sentir capaz de ignorar ou dizer ao chefe que o assunto pode ser discutido na segunda-feira.

Postar Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem